27.7 C
Guarulhos
sábado, junho 15, 2024

Buy now

Guarulhos avança na saúde pública com lançamento de protocolo para tratamento de doença pulmonar

Guarulhos deu um passo significativo para a melhoria da saúde pública nesta terça-feira (28) com o lançamento do protocolo de diagnóstico e tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) no Adamastor. A iniciativa busca fortalecer as ações de prevenção, controle e promoção da saúde com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e enfrentar as doenças crônicas não transmissíveis, responsáveis pela maioria das mortes em todo o mundo.

A DPOC, terceira causa de óbitos no mundo, abrange doenças respiratórias que causam obstrução crônica das vias aéreas, incluindo a bronquite crônica, caracterizada pela inflamação dos brônquios, e o enfisema pulmonar, que provoca danos irreversíveis nos alvéolos, ambas intimamente ligadas ao tabagismo.

A prevenção primária foca principalmente no combate aos fatores de risco ambientais, especialmente na redução do tabagismo, responsável por cerca de 80% dos casos da doença, que, embora não tenha cura, é tratável com medicamentos e reabilitação pulmonar. Em casos mais graves pode ser necessário o uso de suplementação de oxigênio. Os tratamentos disponíveis atuam no retardo da progressão da DPOC, controlando os sintomas e reduzindo as complicações associadas.

O protocolo representa um avanço importante, oferecendo subsídios para a implementação de estratégias mais robustas de prevenção e controle. O evento de lançamento do protocolo incluiu a capacitação de 108 profissionais de saúde de diversos níveis de atenção, que foram atualizados desde o diagnóstico até o tratamento da DPOC, com um foco especial na reabilitação e na correta prescrição e uso de medicamentos pelos pacientes.

Desenvolvido por profissionais da rede de atenção às pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e pela vigilância das doenças crônicas não transmissíveis, com a colaboração de profissionais da rede municipal de saúde, o protocolo teve a revisão técnica de Ângela Honda, pneumologista, líder de programas educacionais da Fundação ProAR e médica voluntária da reabilitação pulmonar da Unifesp.

Durante a capacitação Ângela enfatizou a importância da colaboração entre diferentes categorias de profissionais de saúde na educação sobre a DPOC. “É crucial que todos trabalhem juntos na conscientização sobre os efeitos do tabagismo e no apoio aos pacientes que já utilizam oxigenoterapia”, destacou.

O protocolo inovador de Guarulhos responde à crescente necessidade de ações coordenadas para enfrentar as doenças crônicas não transmissíveis, proporcionando aos profissionais de saúde ferramentas e conhecimentos atualizados para melhor atender a população. Com a adoção dessas práticas, espera-se uma melhora no tratamento dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica e, consequentemente, uma redução na mortalidade associada a essa doença.

Related Articles

- Publicidade -

Últimas Notícias