Saúde promove o 5º Simpósio de Infecção Relacionada à Assistência

0
14
Assunto:V Simpósio de Infecção Local:APM Rua Darcy Vargas,64 - Centro Data:22.10.2019 Foto:Sidnei Barros/PMG

Cerca de 100 pessoas participaram nesta terça-feira (22) do 5º Simpósio de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS) de Guarulhos. Realizado no auditório da Associação Paulista de Medicina, o evento foi promovido pelos enfermeiros que atuam no controle de infecção hospitalar da Secretaria Municipal de Saúde e dos hospitais públicos, privados e filantrópicos do município, com coordenação do Programa Municipal de Controle das IRAS.

“Os caminhos a percorrer na prevenção das IRAS” foi o tema desta quinta edição, que foi aberta com a palestra da médica infectologista Denise Brandão de Assis, doutora em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Faculdade de Medicina da USP e coordenadora do Programa de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde do Estado de São Paulo. Durante sua explanação, ela apresentou o projeto de monitoramento da higiene e limpeza para hospitais do Estado, que está em execução, e o manual com recomendações para o controle das infecções.

Para a especialista, as normas e rotinas de limpeza e de controle de infecção hospitalar devem ser escritas. Por isso, o manual criado este ano, após realização de inquérito para conhecer as dificuldades dos hospitais nessa área, traz recomendações sobre como fazer a higienização, com que freqüência deve ser efetuada e por quem. “É preciso ter uma rotina de treinamento para os profissionais da limpeza, com participação da comissão de controle de infecção hospitalar (CCIH) e monitoramento do serviço, porque a inspeção visual é muito subjetiva”, defendeu Denise.

Na sequência, a médica especialista em infectologia pediátrica, Mariana Volpe Arnoni, que é coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa de São Paulo, abordou o “Surto de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde”. Depois, a enfermeira Graziele Yamazaki da Silva, que atua no controle de infecção do Complexo 8 de Dezembro, apresentou o projeto desenvolvido nos hospitais de sua rede, chamado “Espião da limpeza terminal”.

Os trabalhos foram retomados à tarde com a discussão de mais dois temas: “Metodologias de Monitoramento de Higiene e Limpeza do Ambiente Hospitalar”, apresentado pela enfermeira Raquel Carneiro Machado Higa, que atua no controle de infecção do Hospital e Maternidade Guarulhos Notre Dame Intermédica; e “Evolução na Implantação de Programas de Gerenciamento de Uso de Antimicrobiano”, com a enfermeira Ligia Maria Abraão do Controle de Infecção Hospitalar Coorporativo do Grupo Américas Serviços Médicos (United Health Group).

Impactos positivos

Para Tiago Estevam de Almeida, da equipe médica do Departamento de Urgência e Emergência da Secretaria de Saúde, todo evento voltado à prevenção e ao controle das infecções hospitalares é muito importante, porque gera impactos positivos tanto para o paciente como para os hospitais.

“Um ambiente livre de infecção diminui o tempo de internação dos pacientes, a taxa de morbimortalidade, bem como os custos hospitalares. Isso porque as bactérias que causam as infecções hospitalares geralmente são multirresistentes e os antibióticos utilizados nesses casos têm um custo muito maior que os convencionais”, explicou.

Da mesma forma, a enfermeira do controle de infecção hospitalar do hospital privado Bom Clima, Ana Célia Santos Pereira, que foi acompanhada por profissionais que atuam na limpeza e na CCIH do hospital, elogiou o simpósio. “Foi maravilhoso, a cada ano o evento supera as minhas expectativas, porque os palestrantes conseguem identificar as nossas necessidades, bem como nos fornecer estratégias para qualificar nosso trabalho”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.